A+ A-

Nota repúdio contra militarização no INSS

Image

Com observações de Crizeuda e de Evania, eis nova versão da nota:

O Cress Ceará repudia e é terminantemente contra a convocação de militares para atuarem no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Um absurdo que uma instituição que sempre foi reconhecida pelo acesso à informação da população e pela defesa de seus direitos, receba pessoal não especializado para atendimento às/aos usuárias/os.

O que o INSS precisa é de concurso público e que as unidades estejam em pleno funcionamento para atendimento presencial (sem redução de 50% dessas agências nem de quase 40% de servidores que estão sendo obrigados a se aposentar pela EC 103/2019, além de outros problemas, como o número de servidores afastados por estarem adoecidos pelas perseguições e assédios sofridos dentro da instituição). Entre os assédios, é preciso citar a necessidade dos funcionários atingirem metas de produtividade, como se o atendimento às/aos cidadãs/aos fosse automático e robotizado e como se o usuário fosse um mero número numa carteira de previdência.

Está claro que o Governo Federal quer é dificultar de toda forma o acesso da população a esse serviço essencial, e repetimos, reduzindo atendimento presencial em quase 90%, extinguindo o Serviço Social na instituição, forçando servidores a se aposentarem, perseguindo funcionárias/os. É notório, e a história recente da nossa democracia prova, que o militarismo não soluciona problema algum e em nenhuma instância, principalmente no que diz respeito à pobreza e desigualdade social.

O CRESS CEARÁ É CONTRA À MILITARIZAÇÃO DA PREVIDÊNCIA E SE UNE A FEDERAÇÃO NACIONAL DE SINDICATOS DE TRABALHADORES EM SAÚDE, TRABALHO, PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA SOCIAL (FENAPS) NA CONVOCAÇÃO PARA ATIVIDADES NO DIA 24 DE JANEIRO, DIA NACIONAL DE LUTA DOS APOSENTADOS.

Assine também o abaixo assinado http://chng.it/VN52trGX contra a intervenção militar no INSS!

Compartilhe