A+ A-

Cress Ceará promove encontro com coordenadores/as de Serviço Social de equipamentos de Saúde de Fortaleza para definição das atribuições privativas da categoria no setor

Image

Este é o primeiro momento para a consolidação de um documento com as atribuições privativas e que deve ser apresentado aos gestores dos equipamentos municipais de Saúde.

No dia 6 de dezembro, o Conselho Regional de Serviço Social 3ª Região/CE deu início à retomada do Grupo Temático – GT Saúde com uma necessária discussão sobre as atribuições privativas do/a assistente social no campo da Saúde nos equipamentos públicos de Fortaleza. Esta foi a primeira de várias ações que tem como intuito a elaboração de um documento que padronize as atribuições destes profissionais e que seja apresentado aos gestores dos equipamentos.

Para este primeiro encontro, foram convidados/as os/as coordenadores de Serviço Social dos Gonzaguinhas, Frotinhas, Hospital Infantil e Hospital Nossa Senhora da Conceição. Estiveram presentes representantes dos Frotinhas da Parangaba e Messejana, Gonzaguinhas da Barra e José Walter e Hospital Infantil. Em seguida, a Comissão de Orientação e Fiscalização (COFI) do Cress Ceará espera contar também com a coordenação do Hospital da Mulher.

Inicialmente, a proposta é ouvir as demandas dos/as assistentes sociais nessas instituições e esse é um momento considerado intenso e sensível para a categoria. Para a agente fiscal do Cress Ceará, Maria Auxiliadora Araújo, “todas as vezes que os profissionais se reúnem para discutir as suas práticas, aquilo que é realidade e aquilo que é exitoso, isso proporciona uma mudança qualitativa no trabalho e também dá uma visibilidade muito importante para a profissão”.

Em seguida, a partir do diálogo estabelecido em grupo, será elaborado, por cada coordenação, um documento com informações sobre o que Serviço Social faz hoje na área da Saúde, assim como quais as dificuldades e as experiências exitosas de cada equipamento para apresentar a todos/as. Essas informações servirão como base para a padronização de um instrumental com as atribuições para os/as profissionais do setor.

“Estamos começando a discussão a nível municipal mas isso vai subir para a esfera estadual e quem sabe até para a federal. É uma discussão necessária sobre quem é, quem são esses profissionais, o que eles realizam, quais são as suas atribuições privativas no Serviço Social. No momento que a gente faz isso os serviços passam a ser refletidos, pensados, e isso é uma necessidade”, finalizou a agente fiscal Auxiliadora Araújo sobre os impactos dessa medida.

Esta ação está sendo conduzida pelos conselheiros do Cress Ceará, Raymundo Paiva dos Santos e Elizio de Araújo Loiola, e pelas agentes fiscais Maria Auxiliadora Araújo e Kelly Diniz Viana. Ao final, espera-se apresentar o documento aos gestores dos equipamentos de Saúde a fim de que as atividades privativas do/a profissional do Serviço Social sejam unificadas respeitando as especificidades de cada espaço de atuação. Além disso, espera-se que o GT de Saúde saia fortalecido e com novos encaminhamentos para outras áreas, inclusive para o setor privado, gerando vários desdobramentos.

Compartilhe