A+ A-

​Dois anos da “Chacina da Grande Messejana” é marcada por agenda de atividades e luta por justiça

Image

A programação culmina no dia 11 de novembro com a “5ª Marcha da Periferia – #PorMemóriaEJustiça: 2 anos da Chacina da Grande Messejana”, com concentração às 15h, na Beira Mar, em Fortaleza (CE).

Até o próximo dia 11 de novembro, as famílias das vítimas fatais da “Chacina da Grande Messejana” e sobreviventes, em conjunto com movimentos sociais e entidades, mobilizam Fortaleza com diferentes atividades por memória e justiça. O calendário culmina na “5ª Marcha da Periferia – #PorMemóriaEJustiça: 2 anos da Chacina da Grande Messejana”, com concentração às 15h, na Beira Mar. A chacina é considerada a maior do Ceará e vitimou 11 pessoas em 2015.

Desde o dia 1° de novembro, as atividades estão acontecendo em diferentes bairros. São bate-papos com as juventudes, palestras, exposições, batalhas de hip hop, performances, exibição de documentário, dentre outras, em uma programação voltada para relembrar a população fortalezense sobre a chacina e, também, alertar sobre os constantes crimes que vitimam, especialmente, jovens negros moradores das periferias.

Como destaques da programação estão a exibição, no CUCA Jangurussu, do documentário “ONZE”, na quinta (9/11), produzido pelo Coletivo Nigéria sobre a chacina; a atividade “Fazendo Motim In Memorian”, também no dia 9/11, realizada pelo Coletivo Motim na praça do Santa Cecília no Bom Jardim; o debate “Por memória e Justiça: contra a violência de Estado” com a participação de mães vítimas da violência de Estado vindas de São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador, integrantes dos movimentos Mães de Maio, Mães de Manguinhos e Rede Contra a Violência, na Praça da Cruz Grande na Serrinha, no dia 10 de novembro; e a Marcha no sábado (11/11), na Beira Mar.

11 dias pelos 11

Já era o início da madrugada do dia 12 de novembro quando a primeira vítima foi assassinada. Em um intervalo de três horas e meia, mais dez pessoas foram assassinadas e outras sete conseguiram sobreviver ao atentado. Em sua maioria, adolescentes que começavam a vida com sonhos, anseios e desejos de um futuro melhor. Seus sonhos foram brutalmente interrompidos por um Estado que continua vitimizando, especialmente, os/as habitantes de nossas periferias.

O evento criminoso mobilizou centenas de pessoas de acordo com as investigadoras do caso e, ao todo, 45 Policiais Militares foram denunciados. Destes, 44 tiveram a denúncia aceita e prisão provisória decretada para instrução. Ao final da fase de instrução restam 34 Policiais que irão para o julgamento do júri e atualmente, todos respondem em liberdade.

Após dois anos, a “Chacina da Grande Messejana” continua viva na memória e no anseio por justiça dos/as moradores/as. Em uma luta constante, os familiares das vítimas cobram celeridade e proteção do Estado, reivindicam que o Governador do Estado do Ceará reconheça a responsabilidade dos agentes públicos no caso e que o Poder Judiciário garanta a celeridade do julgamento. Por fim, diante do cenário de crescimento das mortes por intervenção policial registradas no Ceará – até setembro de 2017 o Ceará já acumula 123 mortes por intervenção policial, superando os dados de 2016 –, cobra-se que o Estado adote medidas para reverter este cenário que continua vitimando os jovens da periferia.

Confira a programação completa:

Terça 7/11
– 19h: Lançamento da semana do Hip Hop no Cuca Mondubim

Quarta 8/11
– 18h30: Batalha de Bboys no Cuca Jangurussu

Quinta 9/11
– 13h: Exibição do Documentário ONZE e debate

– 14h: Debate na “EEFM Integrada 2 de maio” do Passaré

– 15h: Lançamento de exposição fotográfica “Perifa em Foto” de Gustavo Costa, do Coletivo Zoio no CUCA Jangurussu

– 16h30: Mobilização na Quinta Roots do Curió

– 18h: Atividade “Fazendo Motim In Memorian” na praça do Santa Cecília do Bom Jardim

Sexta 10/11
– 17h: Mobilização na escola Jader Moreira Carvalho e igrejas da Serrinha

– 18h: Debate “Por memória e Justiça: contra a violência de Estado” com a participação de mães vítimas da violência de Estado vindas de São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador, integrantes dos movimentos Mães de Maio, Mães de Manguinhos e Rede Contra a Violência, na Praça da Cruz Grande na Serrinha

Sábado 11/11
– 15h: Concentração da “V Marcha da Periferia- Por Memória e Justiça: 2 anos da Chacina da Grande Messejana” na Estátua de Iracema, no aterro da Beira Mar, em frente ao antigo Tia Nair

Mais informações e contatos

Amanda Nogueira
Conselho Regional de Serviço Social 3ª Região (Cress CE)
Assessoria de Comunicação
(85) 99600-1885 | 3243-8700 | 3283-7139

Natasha Cruz
Centro de Defesa da Criança e do Adolescente do Ceará (CEDECA Ceará)
Assessoria de comunicação
(85) 99921-2490 | 98829-2022 | 3252-4202

Compartilhe